Menu

Notícia

4 dicas importantes para realizar câmbio com segurança.

Notícias


Quando as pessoas estão planejando a compra de moeda estrangeira para suas viagens ao exterior, geralmente estão com pressa. Realizar o câmbio costuma ser o último item da lista. Vem depois do bilhete aéreo, reserva do hotel, aluguel do carro, emissão do seguro, compra de entradas de parques, etc. Não deveria. 

Ocorre que, ao deixar o câmbio para a véspera do embarque, você pode trocar os pés pelas mãos e descuidar-se de questões cruciais para a segurança. A sua e a do seu dinheiro. Fará loucuras de última hora para resolver esta pendência, sem pensar nas consequências. Fora que, por ter deixado para o fim da lista, o orçamento ja está apertado e o desejo por tentar compensar tantos outros gastos costuma vir na tentativa de economizar alguns centavos no câmbio. Só que o barato sai caro nestas horas e o passageiro não toma as melhores decisões. 

Sendo assim, trazemos hoje 4 dicas cruciais para que esta - as vezes última mas não menos importante - etapa da viagem ocorra com tranquilidade, mesmo pra quem não planejou com maior antecedência.
Nunca, absolutamente nunca realize compra de moeda com doleiros. Fazendo isto, alem de ser conivente com a prática de crime financeiro, você não tem a garantia de cédulas verdadeiras e está realizando sonegação de impostos e evasão de divisas. Por mais que "o seu doleiro" afirme que a operação é confiável, nada garante que você não levará para o país destino uma cédula fria e só saberá disto quando receber voz de prisão. Sim, isto pode acontecer. Portanto, pense na sua segurança sempre. Por mais que a agilidade destes agentes do mercado paralelo seja grande, ja que não precisam passar por qualquer burocracia, não vale a pena correr tantos riscos, inclusive de cair na malha fina futuramente e ter muita dor-de-cabeça;  

Pague via transferência e solicite à sua casa de câmbio entrega à domicílio. Agora que você seguiu a regra básica - não comprar com doleiros - e fechou câmbio oficial com um profissional de sua confiança: opte por pagar via TED sua operação e peça entrega a domicílio, mesmo que exista taxa de conveniência. Não se arrisque levando reais e trazendo dólares na mão para economizar pouco mais de R$ 20. Alguns clientes chegam a preferir buscar sozinhos e nem sequer pagar o estacionamento do prédio comercial em questão, somente para economizar a garagem. Outros sacam de sua conta e levam em dinheiro simplesmente porque, acreditem, desejam economizar na tarifa de TED (aprox. R$ 10). Uma economia total de menos de R$ 50 que poe em risco, dependendo do caso, mais de R$ 15 mil em moeda! Não vale a pena!  

Leve seus dólares em uma doleira. Se sua opção foi por comprar tudo em espécie, compre uma pochete pequena, daquelas que ficam por baixo da roupa, bem finas e discretas. As chamadas "doleiras". É um item muito barato e prático. Algumas corretoras inclusive dão de brinde, dependendo do montante transacionado;  

Mesmo com o IOF mais alto, vale a pena diluir o risco de perda/roubo comprando uma parte em cartão pré-pago. Lembrando que atualmente a diferença de alíquota de moeda para cartão não é mais de 6% e sim de 5.28% (desde janeiro de 2016). Atualmente o Imposto sobre Operações Financeiras é aplicado da seguinte forma: espécie 1.1% / cartão 6.38% / remessa 0.38%. Faça pelo menos uma carga mínima de VTM / Cashpassport. Assim, para o caso de emergências no exterior, você tem o plano B. Alguns inclusive já oferecem pontos para programa de milhagem, se este é o motivo para você ainda gostar de cartão de crédito.